terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Aquele Querido Mês de Agosto


Documentário com ficção, ou ficção com documentário, fica a dúvida. Com um nome inspirado no hit do já falecido Dino Meira, "Aquele Querido Mês de Agosto" é um retrato da zona de Arganil, Coja, Pampilhosa, Góis e essas vilas do interior em pleno mês de Agosto, quando os emigrantes regressam e se festeja em bailes e procissões.
Sem cerimónia, na primeira parte do filme focam-se as festas, os bailaricos, a música e as personagens mais conhecidas da terra, uma manta de retalhos com depoimentos e imagens. Numa segunda parte do filme, começa a ficção, um filme dentro do filme, a história de uma família que canta e toca em bailes.
Se estão a contar com um filme normal, com princípio, meio e fim, é melhor esquecer tudo isso porque este filme é para ver com a mente bem aberta, há diálogos brilhantes mas nada encenados, as pessoas da região falam para a câmara como se falassem para os amigos no café, sem pudor ou fingimento.
O melhor do filme é isso mesmo, a realidade, as paisagens e a sensação de se conhecer um lugar assim.
O maior inconveniente do filme é a sua duração, quase duas horas e meia.
Aquele Querido Mês de Agosto cruza a ficção com o documentário através de uma história sentimental entre pai, filha e o primo desta, músicos num "grupo de baile". Esta história tem lugar no coração de Portugal, em Agosto, quando a população se multiplica e as actividades também: festas e romarias, foguetes, música e muita animação. Foi filmado durante os verões de 2006 e 2007, em concelhos da região centro: Arganil, Góis, Pampilhosa da Serra, Oliveira do Hospital e Tábua.
Fonte: cinema.sapo.pt
Aquele Querido Mês de Agosto no IMDB.

3 comentários:

Estrelinha disse...

Já vi esse documentário há uns tempos. Tudo porque os pais do namorado são da Zona e até há uma prima que entra no filme e tudo ;)
beijinho

Ovelha Flor Guerreira disse...

Deve ser muito muito interessante... o Portugal à séria, sem rodeios!

Lili C. disse...

Fazem falta visões sobre os emigrantes e as aldeias em Portugal mas de facto o filme é bastante longo. No todo gostei.