quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A Bela e o Paparazzo


Mariana Reis, interpretada por Soraia Chaves, é uma actriz de novelas bastante mediática e que é constantemente perseguida pelos paparazzi das revistas cor de rosa. Por acidente ela conhece João, interpretado por Marco D'Almeida, o paparazzo que a fotografa para as revistas sem que ela saiba. João vive com Tiago (Nuno Markl) e Hugo (Pedro Laginha), dois amigos excêntricos, um escritor e outro chef num restaurante japonês.
O filme assume-se como comédia romântica, é simples e tem algumas cenas que chegam a ser mesmo divertidas.  É de realçar a personagem que Nuno Markl interpreta, a meu ver, muito bem. Uma personagem caricata, com umas ideias estranhas que se levanta a meio da noite para cozinhar "El Pesto". A propósito desta personagem, as t-shirts que lhe fizeram para o filme são espectaculares. Gosto especialmente de "I don't know what I'm doind out of bed".
Fica a frase "os pinguins só cá estão até sábado". Se quiserem saber a histórias por trás da frase, é porque já vale a pena ver o filme!
A história de Mariana, uma actriz de telenovelas, e de um paparazzo, chamado João que se vêem envolvidos numa comédia romântica..
Fonte: cinema.sapo.pt
A Bela e o Paparazzo no IMDB.

Alice in Wonderland

A conhecida história de Lewis Carroll (pseudónimo utilizado por Charles Lutwidge Dodson) toma formas no cinema através de Tim Burton com bons actores como Johnny Depp, o chapeleiro louco, ou Helen Boham Carter, a pérfida Rainha Vermelha. Alice aparece-nos agora já crescida numa Inglaterra vitoriana, com 19 anos, a meio de uma proposta de casamento ela pede um momento para pensar e volta a avistar o coelho de casaco azul que lhe é tão familiar. Segue-o e cai dentro da toca onde o coelho entrou, é nesse momento que Alice é transportada para o mundo fantástico onde os animais falam, os gatos sorriem e todos bebem chá. Vai então descobrir que lhe cabe a tarefa de salvar o mundo encantado da malvadez da Rainha Vermelha e voltar a atribuir a coroa à Rainha Branca.
Um filme para todas as idades com efeitos especiais e animações muito bem feitos. As cenas da lebre e do chapeleiro são fantásticas.
Johnny Depp é o Chapeleiro Louco e Mia Wasikowska a Alice de 19 anos de idade, que regressa ao excêntrico mundo que encontrou pela primeira vez quando era criança reunindo-se assim com os seus amigos de infância: o Coelho Branco, Tweedledee e Tweedledum, a Ratazana, a Lagarta, o Gato Cheshire, e claro, o Chapeleiro Louco. Alice embarca numa fantástica viagem para encontrar o seu verdadeiro destino e acabar com o reino de terror da Rainha Vermelha...
Fonte: cinema.sapo.pt


Alice in Wonderland no IMDB.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Cloudy with a Chance of Meatballs

Flint é um aspirante a inventor que acha que um dia fará uma invenção que irá mudar do mundo. Num dia especial para a sua cidade, Flint decide colocar a funcionar a sua última invenção: uma máquina de fazer comida. Quando a dita máquina desaparece na atmosfera, Flint acha que a sua carreira como cientista está terminada. No entanto, depois de um arraial de desgraças, começam a cair hamburgueres do céu e Flint certifica-se que a sua invenção funciona mesmo. A partir daí, as encomendas de comida são feitas de forma tão exagerada e gananciosa que o mundo está prestes a ficar soterrado debaixo de comida gigante. Flint terá então de encontrar uma forma de acabar com essa "bola de comida" que inventou, com a ajuda do seu macaco de estimação e da amiga meteorologista Sam.
É uma história bastante caricata que retrata bem o quão fácil é cair no exagero, deixarmo-nos cegar pela ganância e pela fama. Fica ainda a lembrança que por vezes é difícil aos nossos pais dizerem-nos quanto se orgulham de nós!

A história do cientista Flint Lockwood e da sua maior invenção: fazer chover comida do céu!
Fonte: cinema.sapo.pt


Cloudy with a Chance of Meatballs no IMDB.

Autumn, welcome

Hoje dizemos adeus ao Verão e recebemos o Outono, com as suas folhas coloridas a cair das árvores. Dizemos adeus aos dias de praia e recebemos as noites mais frescas. Dizemos adeus aos tops e t-shirts e tiramos do baú as camisolas de manga comprida. Querido Verão, foi bom enquanto por cá andaste, agora é altura de te dizer um saudoso "até para o ano".
Fonte: weheartit

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

5 factos. 10 coisas que gosto.

A Myosotis desafiou-me a contar 5 factos e 10 coisas que gosto. Vamos a isso.
Factos:

  • Aquilo de que mais me arrependendo foi de ter deixado a natação na fase em que já estava para me dedicar à música. Detestei! Agora vou voltar à natação!
  • Quando vou à praia levo sempre um boné, desde pequena que a minha mãe me obrigava a levá-lo, além disso não gosto de apanhar sol na cara.
  • Calço sempre o sapato/sapatilha/sandália esquerdo(a) primeiro. Não perguntem porquê!
  • Tenho o terrível vício de ir à Fnac e sair de lá quase sempre com qualquer coisa.
  • Sinto-me observada quando ando sozinha na rua.

Gosto de:

  • ver a máquina da roupa a lavar
  • passar horas no café com os amigos de sempre a conversar
  • fazer jantares para juntar os amigos
  • saltos altos, daqueles mesmo altos
  • vestidos de Inverno
  • enrolar-me no sofá a ver filmes em dias de chuva, frio e vendaval
  • viajar e conhecer
  • me sentar em frente ao mar, só a ver
  • jogos de tabuleiro
  • ler sobre a nossa história
Vou passar este desafio a:

Fonte: weheartit

Não esquecer #67

Fonte: I can read

Shutter Island


Teddy Daniels (Leonardo DiCaprio) e Chuck Aule (Mark Ruffalo) são dois marshals que são enviados para uma ilha, denominada Shutter Island, onde se encontra um Hospital Psiquiátrico cujos "hóspedes" são os piores doentes existentes. Eles são chamados para investigar o misterioso desaparecimento de uma criminosa/doente daquele hospital. À medida que a investigação avança, Teddy apercebe-se que há qualquer coisa de muito errado ali e vai tentar perceber o que é sempre tentando manter a sua sanidade mental.
Parece-me que este filme ainda vai dar muito que falar quando chegar a altura dos prémios para cinema: Leonardo DiCaprio faz uma óptima interpretação w história incrível com pormenores muito bem pensados.

1954, o pico da Guerra Fria, os agentes Teddy Daniels e Chuck Aule são convocados a "Shutter Island" para investigar o improvável desaparecimento de uma criminosa do impenetrável Ashecliffe Hospital. Rodeados por circunspectos psiquiatras e perigosos pacientes psicopatas, eles vêem-se envolvidos numa atmosfera misteriosa e volátil que sugere que nada é o que parece… Com um furacão a aproximar-se da ilha, a investigação progride rapidamente. No entanto, à medida que a tempestade aumenta de intensidade, as suspeitas e os mistérios multiplicam-se, cada um mais terrível e tenebroso que o anterior. Há indicações e rumores de conspirações sombrias, sórdidas experiências médicas, alas secretas, controlo mental e inclusive de algo sobrenatural. Movendo-se nas sombras do hospital, assombrado pelos terríveis actos dos seus instáveis habitantes e pelos desígnios desconhecidos dos igualmente suspeitos médicos, Teddy começa a sentir que, quanto mais fundo ele chega na investigação, mais perto está de se ver confrontado com alguns dos seus mais profundos e devastadores medos. E apercebe-se também que poderá não sair vivo daquela ilha...
Fonte: cinema.sapo.pt


Shutter Island no IMDB.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

The Desert Flower

Um filme chocante, é assim que o descrevo. A menina somali Waris Dirie, protagonista do filme, nasceu numa família pobre de pastores nómadas. Aos 3 anos é mutilada genitalmente de acordo com a cultura do seu país. Aos 13 anos o pai vende-a para casar com um comerciante sexagenário mas na noite antes do casamento ela foge e atravessa o deserto do nordeste africano durante dias e noites e chega à cidade, onde acaba por ser levada para Londres. Depois de algum tempo em Londres, dá-se a guerra da Somália e os somalis que viviam na Embaixada tiveram de regressar ao seu país. Waris foge porque não pode voltar. Acaba por ter a ajuda de uma aspirante a bailarina e torna-se uma top model de sucesso. Decide partilhar com o mundo o seu segredo no auge da sua carreira como modelo e torna-se porta-voz da ONU contra a brutal circuncisão das mulheres.
Este filme mostra uma realidade fria e bárbara dos países africanos que realmente choca e nos faz pensar como é que em pleno século XXI ainda há países que permitem este acto de crueldade humana. Com o seu testemunho, Waris conseguiu com que fosse proibida esta prática em muitos países, apesar de ainda se fazer na clandestinidade.
Baseado na história verídica e best-seller mundial, duma menina somali excisada aos 3 anos, vendida para casar aos 13, e que acabou por se tornar numa supermodelo em Inglaterra, sendo hoje uma porta-voz da ONU contra a excisão feminina.
Fonte: cinema.sapo.pt


Desert Flower no IMDB.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Staten Island


Começámos a ver este filme convencidos que estaríamos a ver o Shutter Island e eu estava sempre à espera de ver aparecer o Leonardo DiCaprio mas o homem nunca mais entrava em cena. Não tardou muito até perceber que estávamos a ver o filme errado, mas já que estávamos a ver, decidimos continuar, o que foi um erro. O filme não tem ponta por onde se pegue: uma história com pouco conteúdo, absolutamente previsível e a ligação das histórias paralelas é completamente terrível. É um filme tão banal e chega a ser de tal modo aborrecido que se me cruzar com o filme a dar na TV um destes dias, mudo de canal.

Sully é capaz de tudo para conseguir proporcionar ao seu filho um futuro brilhante. Jasper, um homem humilde dono de uma mercearia gourmet, tem uma grande qualidade, aos olhos dos mafiosos que o obrigam a trabalhar para eles: é surdo-mudo. Parmie Tarzo, o chefe da máfia local, quer acabar com todos os seus concorrentes. Todos eles vivem em Staten Island, à sombra de Manhattan. Quando as suas vidas e sonhos se interceptam, nada de bom poderá acontecer...
Fonte: cinema.sapo.pt

"Como vencer num mundo de homens" de Gail Evans


Gail Evans, a autora deste livro, é já uma senhora madura com um cargo importante na CNN e, ao longo de umas leves 183 páginas, conta-nos quais os truques e os segredos para vencer num mundo maioritariamente dominado pelos homens. Ensina-nos ainda algumas das diferenças mais profundas já estudadas entre homens e mulheres e como contornar essas diferenças para os perceber.
Achei particularmente relevante o capítulo em que a autora define as 14 regras básicas para o sucesso:

  1. Peça abertamente
  2. Fale abertamente
  3. Faça-se ouvir
  4. Promova-se
  5. Não esteja à espera de fazer amigos
  6. Aceite a incerteza
  7. Corra riscos
  8. Seja impostora
  9. Pense pequeno
  10. Não viva angustiada
  11. Obedeça ao líder de equipa
  12. Não assuma responsabilidades sem ter autoridade
  13. Sente-se à mesa
  14. Ria-se
Segundo Gail Evans, as mulheres são muito mais relacionais que os homens e para vencer precisam encarar este mundo do trabalho como um jogo, tal como os homens fazem. 


O que as mulheres têm de saber sobre os jogos de poder masculinos.
Como Vencer Num Mundo de Homens destina-se a leitoras de qualquer idade e em qualquer escalão profissional: desde a administrativa à CEO. Para ascender na carreira, garante a autora, as mulheres precisam apenas de dominar as regras do jogo, a começar pela primeira: para ganhar é preciso que se goste realmente de jogar.
Numa obra tão sintética quanto prática, Gail Evans explica as 14 Regras Básicas Para o Sucesso, indica as seis diferenças fundamentais entre homens e mulheres, e apresenta ainda as dez palavras-chave que eles e elas entendem de maneira diferente: desde o Sim e Não, a Esperança e Futuro.

Fonte: fnac.pt

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Qual é a tua palavra?

Hoje estava a ler um blog habitual e lembrei-me do livro de Elizabeth Gilbert (Comer, Orar, Amar) e lembrei-me que a certa altura do livro, em Itália, Elizabeth é levada a descobrir a palavra que define cada cidade. A Roma foi atribuida a palavra SEXO, a palavra do Vaticano é PODER, a de Nova Iorque é REALIZAR, a de Estocolmo é CONFORMAR-SE. As minhas palavras vão mudando conforme os dias e as situações, mas hoje a minha palavra é, sem dúvida, MUDANÇA!

Fonte: aqui

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Surpresas boas

Há pessoas com sorte e eu sou uma delas. É do conhecimento comum que eu adoro relógios e apesar de poucas vezes me verem com acessórios, eu sou bem menina para perder a cabeça com acessórios. Ora até aqui tudo normal. Decidi então partilhar estas "belezuras" (marca Swatch) no Facebook e obtive alguns comentários e inclusive respondi aos ditos comentários informando que estava a atirar o barro à parede, podia ser que o meu irmão visse esta dica e decidisse comprar-me como segunda prenda de anos (que a primeira foi o iPhone e eu até só faço anos em Outubro).
De modo que ontem quando cheguei a casa tinha, em cima da cama, um saquinho da Swatch e lá dentro estava o maravilhoso relógio e a adorável pulseira azul. O mano decidiu telefonar ao seu cunhado (o meu MQT) e disse-lhe para me comprar o relógio (dado que o meu irmão vive a uns milhares de km de distância) e o MQT achou graça e ofereceu-me ele a pulseira. Junto assim à minha colecção de relógios e pulseiras mais estas duas coisas bonitas e vou adquirir os brincos do conjunto que também são lindos, talvez em verde! Aos meus dois meninos (o mano e o MQT) muito obrigada por me mimarem assim e já agora desculpem lá o mau feitio de vez em quando!!

Dinner for Schmucks


Voltei a ganhar um bilhete duplo para uma ante-estreia. Ontem lá fomos ver o "Jantar de Idiotas" e tenho a dizer que o filme é efectivamente idiota. A certa altura, tal era o rol de desgraças à conta daquele idiota-mor, apeteceu-me levantar e sair da sala que já me estava a enervar com tanta idiotice mas no final acabou por se revelar um filme agradável, cliché e sem ciência nenhuma, resumindo, um bom filme de domingo à tarde. Tem alguns bons momentos de comédia e outros tantos de idiotice.

Barry: Vincent Van Gogh. Everyone said to him, "You can't be a great painter, you only have one ear." And you know what he said? "I can't hear you."

A história de Tim, um executivo com grandes ambições de carreira que acaba de receber o seu primeiro convite para o "jantar de idiotas", um evento mensal, realizado na própria casa do seu patrão, que confere 'direito à basófia' (e potencialmente mais) ao executivo que convidar o maior tótó. A noiva de Tim, Julie, acha tudo isto de muito mau gosto e ele concorda em não ir ao jantar, até dar de caras com Barry - um funcionário das finanças que dedica o seu tempo livre a construir elaborados dioramas com ratos embalsamados - e rapidamente percebe que descobriu o idiota de ouro. Tim não resiste e convida Barry, cujas desajeitadas boas intenções transformam num ápice a vida de Tim numa frenética espiral descendente recheada de desgraças, pondo em causa um negócio de primeira linha, trazendo de volta à sua vida Darla, a ex-namorada perseguidora, e colocando Julie (ou assim pensa Tim) nos braços de outro homem...

 Fonte: cinema.sapo.pt

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Não esquecer #66

Não, não era capaz de viver sem eles!

Fonte: I can read

Frase do dia #25


Books have the same enemies as people: fire, humidity, animals, weather, and their own content.

Paul Valery (1871 - 1945)

Fonte: weheartit

terça-feira, 7 de setembro de 2010

This is my country

Acho este vídeo de promoção do Turismo de Portugal muito bem conseguido. Foca algum dos principais pontos turísticos do país, não mostra outros tantos porque não há tempo para tudo, mas o que é certo é que Portugal é um país bonito cheio de paisagens, monumentos e história para conhecer.

Coisas de mulher #4

Estamos a mudar de estação, aos poucos, e, como qualquer mulher que se preze, acho que estou a precisar de uns trapinhos novos. Como não é só a estação que está a mudar (há outras mudanças por aí a acontecer), estou a precisar de umas roupinhas mais formais, preciso de ter um conjunto de artigos que encaixem bem em mim, na carteira e nas mudanças.
O meu problema é somente um: onde posso encontrar o que pretendo sem gastar o orçamento que tenho para roupa para os próximos 2 anos?


Fonte: Massimo Dutti

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Mais vale tarde que nunca

Afinal, os planos que vou fazendo às vezes até se chegam a concretizar. Tantos anos depois vou voltar, com aulas de aperfeiçoamento. Já estou em pulgas!!

Fonte: aqui

Não esquecer #65

Fonte: I can read

Eu gostava de... #11

...adquirir o novo iPod Nano, e a cor nem me importa muito, acho-os todos lindos. É que eu nem preciso porque além do iPod Shuffle antigo, tenho o iPhone, mas este brinquedo está mesmo espectacular. Temos de lhes dar o crédito, os senhores da Apple sabem mesmo como fazer coisas bonitas!


Aqui fica o vídeo de promoção desta coisa gira:


Imagens, vídeos e afins daqui.

Nanny McPhee and the Big Bang

A enigmática Nanny McPhee volta ao grande ecrã para, de novo, ensinar lições fundamentais a um grupo de 5 crianças rebeldes, a que uma mãe tenta pôr mão, sem sucesso. Enquanto o marido está na guerra, Isabel Green (Maggie Gyllenhall), a mãe carinhosa e lutadora, tenta a todo o custo gerir a sua quinta e os três filhos do casal. É quando chegam os dois primos vindos da cidade que tudo se complica e bate à porta Nanny McPhee para pôr ordem naquela balbúrdia.
A história é simples e agradável e a magia continua no ar nesta novo filme de Nanny McPhee. Há algumas cenas muito cómicas que transmitem boa disposição a quem assiste. Sem dúvida um filme que transmite importantes valores às crianças.

Nesta nova aventura, Nanny McPhee bate à porta de uma jovem mãe, Mrs. Isabel Green, que tenta desesperadamente gerir a sua quinta familiar enquanto o seu marido está longe na guerra. Mas quando chega, Nanny McPhee descobre que os filhos de Mrs. Green travam uma guerra contra dois primos mimados vindos da cidade, que se mudaram para a quinta. Socorrendo-se de tudo, desde uma mota voadora e uma estátua que ganha vida, a um porquinho que trepa árvores e um elefante bebé que surge nos lugares mais estranhos, Nanny McPhee usa a sua magia para ensinar às suas crianças cinco novas lições.
Fonte: cinema.sapo.pt

CD #9 - Jorge Palma - Voo nocturno ao vivo

Setembro foi o mês de escolher Jorge Palma para protagonista aqui da rubrica do CD do mês.


Jorge Palma edita, “Voo Nocturno ao vivo”, o registo em CD + DVD das duas datas realizadas a 20 e 21 de Novembro de 2007 no Coliseu de Lisboa.
Este registo ao vivo, editado no formato CD + DVD, inclui a grande maioria dos temas do dupla platinado “Voo Nocturno”, o seu último de originais editado em Junho do ano passado – entre os quais o estrondo sucesso “Encosta-te a mim” – a que se juntam mais oito temas da longa carreira deste carismático artista; entre estes, pudemos encontrar “Frágil” (numa magnífica versão), “Só”, “Dormia tão sossegada” e “A gente vai continuar”. Realce-se o facto de encontrarmos no DVD incluído em “Voo Nocturno ao vivo” - o primeiro da carreira de Jorge Palma - além do alinhamento do concerto, os seguintes extras: Documentário com entrevista ao artista, galeria de fotos e os video clips dos temas “Encosta-te a mim” e “Dormia tão sosssegada”. A edição acontece poucos dias depois da apresentação ao vivo do artista no Campo Pequeno (14 de Novembro) com o espectáculo “O Último Metro”.

Fonte: fnac.pt

E agora uma música que também está neste álbum, com uma letra que me diz muito:

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Hoje sexta, amanhã praia

Os sábados passaram a ser sinónimos de praia desde que as aulas se acabaram. Amanhã é de novo sábado e lá vou eu para a praia com as temperaturas a subir de novo. Que sensação boa, esta!

Fonte: Flickr

Madeira - round2

Dois anos e dois meses depois vou voltar a aterrar aqui. Desta vez levo companhia e vou ficar por lá menos tempo. Quando lá estive da outra vez paguei 250 euros por um voo da TAP (ainda não havia easyjet a voar para lá). Agora ficou a menos de metade do preço. Maravilha!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Networking - Guia de Sobrevivência Profissional de Filipe Carrera


Desta vez um livro mais técnico, para ser diferente. Este livro apresenta-nos uma série de ferramentas e conselhos para cultivar a nossa rede de contactos, explicitando precisamente o valor da nossa rede de contactos e o que podemos conseguir com ela. No final apresenta-nos um conjunto de testemunhos que tiveram sucesso graças ao cultivo da sua rede social. No fundo, a questão aqui acaba por ser manter actualizados os nossos contactos e não esquecer que eles existem. Não encaremos isto de uma forma egoísta, mas sim como uma maneira de tirar partido da rede e posteriormente também ajudar alguém na mesma situação.
Algumas ferramentas que achei graça, algumas que já conhecia:
No mundo em que vivemos não basta ser competente, é preciso que o mercado o reconheça. Não é possível ter um profissional de excelência confinado ao seu espaço, por isso o networking tornou-se imprescindível como forma inteligente de gerir redes de contactos.
Este livro dirige-se a todos os profissionais que querem progredir nas suas carreiras e negócios. Para tal são apresentadas técnicas de networking simples e eficazes, com o objectivo de prevenir crises e realizar um planeamento da vida pessoal e profissional bem sucedido.
Ao longo desta obra poderá encontrar uma infinidade de exemplos de situações vividas pelo autor e por profissionais de 18 países, em diferentes meios, situações, países e culturas, ilustrando as diversas ferramentas e técnicas apresentadas.
É dada particular atenção à utilização das novas tecnologias no networking, nomeadamente as ferramentas disponibilizadas pela Web 2.0, nesse âmbito poderá encontrar uma página no Facebook (Networking – Guia de Sobrevivência Profissional) que funciona como um espaço de inter­actividade entre os leitores e o autor e de acesso a novos recursos em múltiplos formatos.

Fonte: fnac.pt

Não esquecer #64

 Fonte: I can read

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

The Back-up Plan

Jenifer Lopez interpreta Zoe, uma mulher de sucesso, solteira que deseja mais que tudo ter um filho, mesmo não tendo encontrado o pai para ele. Assim sendo, ela decide por mãos à obra e tentar ter um filho por inseminação artificial. O problema surge quando, à saída da clínica, tropeça num homem que pode ser aquele que há tanto procurava.
É uma comédia romântica bem ao estilo americano, mas apesar disso tem bons momentos de comédia que fazem rir mesmo com vontade. Todos sabemos que a J.Lo não é a melhor actriz de comédia do mundo, mas acho que ela esteve bem neste filme, é a protagonista de algumas das cenas mais cómicas do filme. Tem situações bastante previsíveis, daquelas de dizer "agora vai acontecer isto", e acontece mesmo. No entanto, o final do filme tem a sua piada!

Após vários anos com sucessivos encontros, Zoe decidiu que a espera pelo Sr. Perfeito já tinha durado tempo demais. Determinada a ser mãe, Zoe marca uma consulta no médico e decide avançar com o processo sozinha. Só que nesse preciso dia, Zoe conhece Stan - um homem que pode ser o que ela procurava...

Fonte: cinema.sapo.pt