quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

CD do mês em revista


No início do ano de 2010 fiz uma promessa: não comprar mais livros de lazer enquanto não lesse todos os que tenho na estante ainda por ler. Como não podia comprar livros, criei a rubrica do CD do mês. Ao longo destes 12 meses tive a preocupação de escolher CDs de artistas portugueses, um para cada mês, de estilos que me agradam:

Janeiro: Rua da Saudade - Canções de Ary dos Santos

Feveireiro: Três Cantos ao Vivo

Março: OqueS'trada - Tasca Beat

Abril: Pedro Abrunhosa e Comité Caviar - Longe

Maio: Tiago Bettencourt & Mantha - Fuga

Junho: Anaquim - As Vidas dos Outros

Julho: Deolinda - Dois Selos e Um Carimbo

Agosto: Ana Moura - Leva-me aos Fados

Setembro: Jorge Palma - Voo Nocturno ao Vivo

Outubro: Camané - Do Amor e dos Dias

Novembro: Os Loucos Anos 80

Dezembro: Mariza - Fado Tradicional

Não sei se a rubrica irá continuar, sei que foi um gosto e um entusiasmo a compra de cada CD escolhido.

Fonte da imagem: Olhares

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Eu prometo!

Eu, Kelle Maria, aqui me comprometo a dar início oficial à minha tese no início de Janeiro. No dia 1 não que a mãe faz anos e temos de comemorar, mas quem sabe no dia 2 ou 3.
Já não dá para adiar mais o começo. Ai, mas a preguiça é tanta!
Coragem, é o que é preciso, e fé também!

Fonte da imagem: weheartit

Em 2010...


Janeiro
... entrei no novo ano com os amigos do costume
... vi os filmes The Proposal, The Taking of Pelham 123, Gran Torino, O Solista, My sister's keeper, Ghosts of Girlfriends Past, The Reader, Ice Age 3, The Private Lives of Pippa Lee
... dei início à rubrica aquisição de um CD por mês com Rua da Saudade
... comprámos uma televisão (também conhecida por ecrã de cinema caseiro) um certo tempo depois de se ter avariado a antiga
... queixei-me do tempo
... ouvi muita música
... terminei o 1º trimestre do MBA e comecei o 2º cheia de coragem
... dei início à rubrica "Não esquecer#"
... recordei os tempos de estudante

Fevereiro
... vi os filmes The Accidental Husband, Couples Retreat, Julie & Julia, Thick as Thieves
... houve jantares e paródia com a malta do MBA
... comecei a planear as férias de Junho
... lembrei-me dos antigos, aqueles mesmo antigos, desde pequeninos
... continuei a rubrica do CD do mês com os Três Cantos
... pensei em emigrar
... fiz uma lista de coisas que gosto mesmo
... recordei os nossos carnavais
... comprei um Moleskine
... dei início à rubrica "Um dia #"

Março
... vi os filmes State of Play, The Men Who Stare at the Goats, The Blind Side, Up - Altamente
... tomei uma decisão
... continuei a rubrica do CD do mês com Oque'Strada - Tasca Bit
... escrevi, em jeito de comemoração do Dia do Pai, um texto para o meu Pai
... assinalei o aniversário da Lassy, mesmo já não estando connosco

Abril
... continuei a rubrica do CD do mês com Pedro Abrunhosa e Comité Caviar - Longe
... queixei-me da falta de tempo para dormir
... matei saudades do Cartola e dos cornetos de chocolate
... li "A Elegância do Ouriço", de Muriel Barbery
... li "No teu deserto", de Miguel Sousa Tavares
... vi os filmes Whatever Works, The Ugly Truth
... dei início à rubrica "Coisas de mulher #"
... falei de um sonho
... lembrei-me do tempo em que se escreviam cartas
... demos início ao Outdoor Weekend do MBA, uma loucura de cansaço

Maio
... tive umas surpresas boas
... continuei a rubrica do CD do mês com Tiago Bettencourt & Mantha - Fuga
... festejei o aniversário do MQT
... marquei as férias de Junho, finalmente
... terminei mais um período do MBA com sucesso
... teci comentários políticos pela primeira vez na história deste blog
... vi os filmes It's Complicated, Law Abiding Citizen, The Book of Eli
... nasceu o sobrinho emprestado mais lindo do mundo
... passei um fim de semana em Sesimbra para inaugurar a época balnear
... fiz planos a longo prazo
... fui ao Rock in Rio ver Muse e Snow Patrol

Junho
... continuei a rubrica do CD do mês com Anaquim - As vidas dos outros
... vi os filmes Up in the Air, Inglourious Basterds
... faleceu José Saramago
... lembrei-me de coisas do antigamente
... apanhei uma intoxicação alimentar
... aconteceu o mundial de futebol na África do Sul e a prestação de Portugal foi fraquinha
... fomos de férias para a Irlanda e adorámos

Julho
... continuei a rubrica do CD do mês com Deolinda - Dois Selos e Um Carimbo
... fomos ao casamento daqueles amigos
... festejei o final do 1º ano do MBA com a maltinha do MBA
... comprei um bikini novo
... apeteceu-me mudança
... vi o filme Inception
... faleceu António Feio

Agosto
... continuei a rubrica do CD do mês com Ana Moura - Leva-me aos Fados
... vi os filmes The Road, Did You Hear About The Morgans?, Unthinkable, Sex and the City, Sherlock Holmes, Salt
... li "A Cidade e as Serras" de Eça de Queiroz
... li "Cozido à Portuguesa" de Domingos Amaral
... passei uma semana de férias na minha praia
... passei outra semana de férias com os amigos em Porto Côvo
... adoeci depois das férias
... li "Comer, Orar, Amar" de Elizabeth Gilbert
... fui ao mar no barco do meu avô, como quem vai à pesca, cheia de coragem e armada com a 450D às costas

Setembro
... vi os filmes Back-up Plan,Nanny McPhee and the Big Bang, Dinner for Schmucks, Staten Island, The Desert Flower, Shutter Island, With a Chance of Meatballs, Alice in the Wonderland, A Bela e o Paparazzo
... li Networking - Guia de Sobrevivência Profissional de Filipe Carrera
... continuei a rubrica do CD do mês com Jorge Palma - Voo Nocturno Ao Vivo
... despedi-me
... nasceu o outro sobrinho emprestado mai' lindo
... voltei à natação, 16 anos depois da última aula
... recebi um relógio e uma pulseira de surpresa
... li Como Vencer Num Mundo de Homens de Gail Evans

Outubro
... comecei num novo emprego
... vi os filmes Sexo e a Cidade 2, The Bad Lieutenant: Port of Call - New Orleans, Year One, Iron Man 2, When in Rome
... continuei a rubrica do CD do mês com Camané - Do Amor e Dos Dias
... fiz 1/4 de século e uma festa à conta disso
... vi Cirque du Soleil - Saltimbanco

Novembro
... fiz uma lista das coisas que já fui, e foram tantas
... queixei-me da mudança da hora
... fui ao casamento de mais um amigo e foi divertido à brava, se Deus não acode tínhamos de ser nós a fechar a porta da quinta
... voltei ao MBA, às aulas e aos trabalhos, com uma boa dose de preguiça à mistura
... fiz um balanço das resoluções que tinha feito para 2010
... continuei a rubrica do CD do mês com Os Loucos Anos 80
... vi o Camané no TAGV
... comprei o CD da Leopoldina - Missão Sorriso
... comecei a comprar coisas natalícias para enfeitar a casa, e prendas que eu não gosto de deixar tudo para a última
... li "O Perfume"
... fui a uma conferência com Philip Kotler, o guru do Marketing, em Aveiro
... vi o filme Killers
... vi a peça VIP Manicure no TAGV
... fiz uma lista de blogs que leio com regularidade

Dezembro
... contei como é o nosso Natal lá em casa
... vi os filmes The Maiden Heist, Tropa de Elite, She's Out of My League
... andei a ler sobre dicas de produtividade
... participei num concurso de Natal e ganhei
... encerrei a rubrica do CD do mês com Mariza - Fado Tradicional
... fiz 5 listas de 10 coisas que gostava de fazer 10 vezes
... troquei postais de Natal, como antigamente, ideia da Polo Norte
... comemorei o Natal com as duas partes da família e com os amigos
... vou comemorar a passagem de ano com os amigos do costume e com os de sempre

Durante todo o ano houve jantares lá em casa, jantares aqui e ali, sempre com malta da boa, noites daquelas mais compridas que o costume, muitos jogos de setas, muita animação, muitas noites perdidas a fazer trabalhos para o MBA, muitos fins de semana passados na FEUC, muitas resmunguices fruto das noites mal dormidas, foi tudo muito intenso, foi um ano muito preenchido, a viver duas vidas ao mesmo tempo!
E este post é tão extenso porque escrevi bem mais do dobro de posts do ano passado.
Conclusão deste ano? Não tive tempo para ler, praticamente nenhum, mas vi mais filmes, daqui concluo que quando queria descansar o cérebro via uns filmes, porque para ler não posso ter 90% dos neurónios em stand-by.

Foi o chamado ano do caraças!


Fonte da imagem: weheartit

Não esquecer #78



Fonte da imagem: icanread

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

She's out of my league


Kirk, um rapaz normal, magricela e com a auto-estima perto de 0, com um futuro pouco promissor como segurança no aeroporto vê a sua vida mudar quando conhece Molly, uma rapariga linda e cheia de sucesso profissional.
Ainda que não seja uma comédia romântica deslumbrante, o filme atinge o objectivo que é mostrar que as diferenças sociais e a beleza não têm de interferir nas relações das pessoas. Tem bons momentos de riso e aos poucos vai conseguindo passar a mensagem. É o chamado filme de domingo à tarde.

Kirk, um tipo vulgar, mal consegue acreditar na sua sorte. Preso a um emprego monótono e sem futuro como segurança no aeroporto, e contra todas as probabilidades, Molly, uma bem sucedida e extraordinariamente bonita miúda, apaixona-se por ele. Kirk fica estupefacto. Bem como os seus amigos, a sua família e até mesmo a sua ex-namorada. Agora ele tem de descobrir uma forma de fazer a sua relação funcionar, mesmo que ele próprio seja o primeiro a admitir que ela é, mesmo, demais para ele...
Fonte: cinema.sapo.pt
She's out of my league no IMDB.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Christmas is over


Chegou ao fim o Natal de 2010. Foram 3 dias inteirinhos de festa, muita comida, muitos doces, muita família, muitos risos, tudo em grande!
O Pai Natal foi generoso, como é sempre.
À família juntaram-se os amigos na noite de sábado, numa boa disposição sem fim. Foram, sem dúvida, bons momentos estes que passámos nestes dias.

Fonte da imagem: weheartit

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Feliz Natal

É hoje! É hoje!!!
Não podia deixar de desejar a todos os que por aqui passam um Feliz Natal!

Tive alguma dificuldade em escolher uma música de Natal para banda sonora deste singelo desejo de boas festas, estava indecisa entre The Pogues & Kirsty McColl com Fairytale of New York, Coldplay com Christmas Lights, e a escolhida: The Killers com Boots. Feliz Natal!
Christmas Lights


Fonte da imagem: weheartit

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Christmas #11


Falta 1 dia para o Natal!
Para mim o Natal começa dia 24 à tarde e acaba no dia 25 à noite!
Esta quinta-feira tem sabor a sexta, e agora é trabalhar depressa para o dia passar a correr para que amanhã chegue rapidamente.

Fonte da imagem: weheartit

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Christmas #10

Depois de participar na aventura do post-crossing, de já ter enviado o meu postal à amiga-secreta e de ela ter manifestado o seu agrado, recebi hoje o meu postal vindo dos Açores. Gostei muito! Já me tinha esquecido como estas brincadeiras são divertidas!

Christmas #9

Faltam 2 dias para o Natal.
Hoje voltamos ao estágio para a noite de Natal com mais um jantar de família, daqueles à nossa moda, todos a falar alto e ao mesmo tempo, a rir, a comer bem, como se faz na gândara!

Fonte da imagem: weheartit

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Christmas #8

Faltam 3 dias para o Natal!
As prendas estão tratadas, o que significa que nesta última semana não vou ter de andar a correr lojas, a sofrer empurrões e a esperar em filas. Gosto de fazer tudo com tempo e bem pensado!

Fonte da imagem: weheartit

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Christmas #7

Faltam 4 dias para o Natal.
No sábado já demos início às festividades com um almoço em família, daqueles à nossa moda, com broa cozida pela avó. Ficou a faltar o primo que ainda está na Madeira e o neto emprestado. Quarta-feira à noite fazemos outro estágio para a noite de Natal, desta vez com todos.

Fonte da imagem: weheartit

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Christmas #6

Faltam 7 dias para o Natal.
O frio que se começa a fazer sentir por estes dias já nos traz um cheirinho a Inverno. Preciso de camisolas quentes, por Deus, e não as encontro em lado nenhum!!

Fonte da imagem: weheartit

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

500 = 5 listas de 10 coisas que gostávamos de fazer 10 vezes #5

FAZER
  • Fazer viagens de mochila às costas: adoro a sensação de liberdade, de casa às costas, durante uma semana ou duas. Era por isto que eu devia ter feito um InterRail.
  • Comprar um computador novo: é a sensação de começar de novo, e é bem possível que o faça bem mais de 10 vezes.
  • Fazer surpresas: só pela satisfação da cara surpreendida da pessoa.
  • Atestar o carro: e seguir numa viagem sem destino, até um sítio onde apeteça ficar.
  • Dormir sem ter hora para acordar: há lá sensação melhor do que poder dormir até "haver chapéus"? 
  • Fazer uma jantarada e juntar os amigos todos: é a alegria de ver toda a gente junta, em ambiente familiar com a boa disposição a reinar.
  • Mudar de emprego: Às vezes sabe bem mudar de lugar, de área, de colegas, é um fresh start! Acima de tudo sabemos que ali é o fecho de um capítulo e início de um novo na nossa vida.
  • Escrever artigos: artigos de opinião, só porque sim, nem que fiquem arrumados no fundo da gaveta, é bom colocar as ideias por escrito.
  • Fazer listas de coisas: listas de compras, listas de tarefas a fazer, listas de presentes, listas de pessoas. 
  • Fazer algo de bom por outras pessoas: a satisfação pessoal é ainda maior que a satisfação das pessoas em causa. Vale a pena e 10 vezes é o mínimo!
(the end)

500 = 5 listas de 10 coisas que gostávamos de fazer 10 vezes #4

OUVIR
  • A minha música preferida na rádio: e o bem que faz à alma quando se vai de viagem, aborrecida, sozinha e chateada com a vida e de repente no rádio toca aquela canção que tanto gostamos! Muda-se logo de cara!
  • Músicas pré-seleccionadas para uma viagem longa: O processo de escolha das canções com o objectivo de banda sonora da viagem é um divertimento especial!
  • "Wake me up" dos Wham!: Já ouvi esta música bem mais de 10 vezes, tanto que na viagem de finalistas foi provavelmente a música que mais se ouvia nas discotecas, ainda hoje quando a ouço me lembro dessa viagem!
  • iPod em modo shuffle: ser surpreendida pelo iPod é qualquer coisa de espectacular, especialmente quando ele lê os pensamentos e desencanta mesmo aquela música que apetecia ouvir.
  • "Conquistador" dos Da Vinci: Não só porque era a única cassete que tinha no início quando me deram um Walkman, mas também porque foi ao Festival Eurovisão da Canção em 1989. Ainda hoje é engraçado quando a ouvimos em festas. Já ouvi esta música pelo menos 30 vezes.
  • Fado no Diligência: é o mais perto que temos de ouvir fado ao vivo aqui por estas bandas, não temos casas de fado, não temos Alfama, nem a Mouraria, temos o Diligência, o lugar onde devíamos ir mais vezes.
  • Frank Sinatra a cantar músicas de Natal: dá saúde à alma!
  • O telemóvel a tocar: É sinal de que há alguém a lembrar-se de nós, é bom, não é? 10 vezes por semana, no mínimo, e eu nem gosto de falar ao telefone!
  • A campainha da porta: Ter visitas constantemente é sempre uma agradável surpresa, gosto de as receber.
  • A mãe a chamar: Aquela voz familiar num sítio qualquer, aquela voz que nos transporta até casa. 10 vezes é pouco, muito pouco.

(to be continued...)

500 = 5 listas de 10 coisas que gostávamos de fazer 10 vezes #3

VER
  • O Padrinho: Acho inadmissível ter visto a trilogia aos bocados, nunca a cheguei a ver do início ao fim, imperdoável. Tenho de resolver este item.
  • Teatro de revista: Gosto da crítica política e social que envolve este género de teatro.
  • Espectáculos de dança: Adoro ver pessoas a dançar tango, especialmente, mas qualquer espectáculo de dança é capaz de me tirar do conforto do lar e fazer ir assistir!
  • House: A série que mais me apraz ver, é simplesmente genial. A personagem de Hugh Laurie é só do mais sarcástico que há.
  • Dirty Dancing: O filme que mais vezes vi na minha vida, bem mais de 10, seguramente. Quem sabe se não o vejo mais uma vez ou duas.
  • Filmes de domingo à tarde: Aqueles que não exigem grande esforço ao nível do cérebro, só para estar ali a vegetar! Devia-se repeti ruma vez por semana, ao domingo, se bem que às vezes ao sábado também passa esse género de filmes na televisão.
  • Desenhos animados: Nunca fui de acordar cedo de propósito para os ver, mas gostava de ter cassetes (sim, VHS) com desenhos animados gravados para ver vezes sem conta. Ainda hoje gosto de ver filmes de animação, sempre que posso vejo os que vão saindo.
  • Filmes com o Morgan Freeman, o Robert de Niro, o Al Pacino, Robert Downey Jr, Johnny Depp e tantos outros: Filmes com actores que gostamos é sempre um prazer assistir, mais de 10 vezes é o número certo.
  • Jogos sem Fronteiras: E as vezes que eu vi isto, era sempre que dava na televisão, não perdia um! Não sei se os cheguei a ver 10 vezes, mas tenho pena que tenha acabado.
  • Festival Eurovisão da Canção: Sim, eu gosto de ver as pessoas a cantar, especialmente as que até cantam bem e todos os anos tento ver o festival, mesmo que todos achem careta, chato, old fashion e tudo e tudo.
(to be continued...)

500 = 5 listas de 10 coisas que gostávamos de fazer 10 vezes #2

IR
  • Porto Côvo: é um sítio que adoro, pela calma, pela paz, pelo Alentejo, pela praia, pelos petiscos, e tudo e tudo.
  • Havana: voltava, sem problemas, para perceber melhor os cubanos, conhecer melhor a realidade. Já pareço o Che Guevara que se meteu numa guerra que não era dele...Mas eu gostava mesmo de voltar a Cuba e não ia para Varadero. Ia mesmo para Havana, misturar-me com as pessoas.
  • Paris: quem nunca desejou ir à cidade-luz que levante o braço. Eu adorava voltar, e fiz há uns tempos a promessa de que voltava, só não sei quando. Há qualquer coisa de especial nas ruas de Paris que me faz querer voltar, ai que saudades dos Champs-Élysées.
  • Londres: mais um sítio a que eu voltava de bom grado, aliás, é o sítio para o qual emigro se um dia sair de Portugal. 
  • Ásia: vou, em breve. Está planeado para Outubro de 2011, e agora é a sério. É uma viagem adiada há demasiados anos e agora é a altura certa para a fazer. Vou, cheia de vontade de conhecer aquela parte do mundo que encantou o meu irmão. Não dá para fazer 10 vezes, mas uma não pode escapar.
  • No barco ao mar: fui este Verão e não sei se volto, a sensação é simplesmente espectacular, mas só voltaria se o mar estivesse assim calmo e tranquilo como esteve este ano. Caso contrário, não arrisco a vida numa aventura sem sentido. Diverti-me imenso, é certo, e se voltar levo uma câmara de filmar para mais pessoas poderem ter um pouco daquela sensação.
  • Nova Iorque: nunca estive nos EUA mas tenho curiosidade em conhecer Nova Iorque, se calhar ando é a ver filmes a mais. Ir 10 vezes a Nova Iorque será pedir demais?
  • Veneza: um dia afunda-se e eu ainda lá não fui! Não pode acontecer, eu quero ir passear na gôndola ao som dos violinos!
  • Timor: faz parte da nossa história, tenho curiosidade em conhecer aquele país que foi massacrado pela Indonésia no massacre de Santa Cruz, gostava de conhecer melhor a história "in loco".
  • Subida do Rio Douro: ando a pensar nesta subida há anos. Subir o rio Douro acompanhada do silêncio e o verde das encostas do rio deve ser qualquer coisa de espectacular.
(to be continued...)

500 = 5 listas de 10 coisas que gostávamos de fazer 10 vezes #1

Ao ler um artigo no iOnline, fiz uma lista de 500 coisas que gosto de fazer, no fundo são 5 listas (nas categorias comer, ir, ver, ouvir, fazer) de 10 itens para repetir 10 vezes!

COMER
  • Pastéis e queijadas de Tentúgal: Os pastéis e queijadas da Pousadinha, mesmo em Tentúgal, são fantásticos. Era capaz de fazer daquilo pequeno-almoço, almoço, lanche, jantar e ceia. Quentinhos então, nem é bom falar!
  • Bacalhau: das 1001 maneiras de fazer bacalhau, eu gosto de todas (pelo menos as que já provei). E devo dizer que só nós, tugas aqui do fundinho da Europa, é que o sabemos cozinhar bem! 
  • Empadão de carne: adoro! Nem dá trabalho a mastigar nem nada!
  • Sapateira: Eu sei fazer e eu gosto daquela que eu faço, não é daquela que nos impingem em certos e determinados restaurantes que de sapateira não tem praticamente nada!
  • Pastéis de nata: Podia comer dez de enfiada, não me fartava.
  • Massas: a teoria é massas com tudo o que houver no frigorífico, gosto especialmente daquelas com molho bolonhesa.
  • Gelados da Emanha: alguém já provou? Que delícia! Os meus sabores de eleição são sempre chocolate e Emanha, o sabor próprio. Claro que há outros igualmente bons e muito mais escolha, mas estes são os meus favoritos. 10 gelados? Todos numa tarde? Pode ser!
  • Salame de chocolate: Modéstia à parte, eu faço o melhor salame de chocolate do mundo.
  • Pão quente com manteiga: é a gula, meus senhores, a gula!
  • M&M's: Falava eu de gula? Jesus...o pecado em forma de sacos de 500g!
(to be continued...)

Fonte da imagem: weheartit

Christmas #5

Faltam 8 dias para o Natal.
Hoje chega a Portugal o meu irmão. Depois de alguns anos sem passar o Natal connosco, vai voltar a passar o Natal com a família, como deve ser, à lareira, com cachecóis e casacos quentes. Welcome back, brother!

Fonte da imagem: weheartit

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Christmas #4


Faltam 9 dias para o Natal.
Há não muitos anos atrás ainda eu enviava postais de Natal para os primos e amigos que estavam longe. Com o passar do tempo fui perdendo esse hábito, é tão mais fácil enviar emails não é? Perdeu-se a magia de ir todos os dias à caixa do correio ver se já tinha algum postal de Natal.
Este ano volto a enviar um postal de Natal, só porque há malta nesta coisa a que chamam blogosfera que tem ideias engraçadas, assim porque sim! O postal já está escrito, só falta mesmo levá-lo ao correio!

Fonte da imagem: weheartit

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Christmas #3

Faltam 10 dias para o Natal.
Desde pequena que imagino um Natal diferente, com neve lá fora e nós à lareira a comer doces de Natal. Não me parece que seja este ano que isso vá acontecer, pelo menos a parte da neve.

Fonte da imagem: weheartit

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

CD #12 - Mariza - Fado Tradicional

Mariza, um dos nomes do fado da actualidade, lançou novo álbum, Fado Tradicional. Este é o álbum que encerra o ciclo de "CD do mês" que iniciei em Janeiro de 2010.

Fado é, sem dúvida, um dos estilos musicais que mais me apraz ouvir e, como tal, a escolha do mês recaiu sobre o fado. Ainda só tive oportunidade de ouvir algumas músicas desta aquisição e confesso que estou a gostar bastante.

A guitarra portuguesa agarra o lamento ou marca o compasso mais alegre.
Mariza empresta a voz cheia de de alma, emoção e êxtase a maravilhosos poemas que lembram a história de um povo.
Esta é uma fusão brilhante entre a musicalidade da tradição e a paixão de uma diva que resulta num álbum sublime.
Fonte: fnac.pt

Deixo-vos com um dos fados deste novo álbum, "Promete, Jura":

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Concursos de Natal

Ando muito dada a esta coisa das decorações natalícias, de modo que até decidi participar no concurso da Sissy.

Não querem passar por lá e voltar na Kelle (como quem diz: eu)? O formulário de votação encontra-se na barra lateral direita do blog da Sissy.



terça-feira, 7 de dezembro de 2010

6 dicas de produtividade


Cada vez há mais stress no trabalho, cada vez há mais exigência e pessoas a lutarem pelo nosso lugar, cada vez os deadlines são mais apertados para eliminar a concorrência e cada vez os clientes são mais exigentes. A oferta é muita, os empregos escasseiam. Temos de ser melhores em menos tempo.
Naturalmente que estes factores todos juntos causam stress nas pessoas e afectam a sua produtividade.
Partilho aqui umas dicas bastante interessantes que li num blog para aumentar a produtividade:

1. Go sleep on time
Many times I just had to finish something and ended up working till 2 or 3 am. Sure, you can do it for a week or maybe more, but then you just collapse in the morning and your productivity is down 90%. You gain nothing.
So, it is not hard to got to bed on time so you can rise early and be ready for the challenges ahead.

2. Rise early
As I said in previous tip, go to bed in time, so you can rise early. Most people are more productive if they are early-risers. They get more work done and their stress level is lower.

3. Sleep at least 6 hours per night
OMG, is this guy going to talk only about sleeping? Anyway, without a good night sleep your stress level raise, you drink more coffe and your productivity goes down the drain.
Sleep is important! We are doing business using our brain and it needs rest.

4. Go out and walk at least once a day
Some lucky people can afford a walk in the park during their working hours. But if you can’t it doesn’t mean that you can not go for a walk after work (or even better, before work). Walking for 45 minutes every day is helping your heart and brain to enjoy.
And on weekends go to mountains or nearby lake. Enjoy your days off, don’t spend them in front of TV or computer.

5. Listen to music
Music is the best booster in the world. So, get your headphones and listen to some of your favorite music. It will relax and help you to concentrate. At least that is how I feel when listening to good music.

6. Find happiness in your job
To be productive, you have to be happy doing what you are doing. If your job is to stressful, boss is giving you a hard time or you are not happy, quit.
Yes, quit this stinking job and find one you really can enjoy. This will boost your creativity, productivity and joy. Honestly, this is the most important tip from me. I just did it myself. It was scary at first, but now I see that it is the only good thing to do if you are not happy with your job.
If you are good at what you are doing, then you’ll probably find new job in no time.
I really hope that this tips will help you to achieve the best level of productivity and make you happy doing great stuff.

Fonte da foto: weheartit

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Tropa de Elite


Talvez despoletado pelos últimos acontecimentos no Rio de Janeiro, ontem passou na RTP o filme "Tropa de Elite" que mostra a dura realidade das favelas e como o Batalhão de Operações Especiais (BOPE), especialmente treinado para situações de extremo risco, combate o crime, a corrupção e o tráfico de droga nos morros do Rio de Janeiro.
O capitão Nascimento lidera uma equipa do BOPE, no entanto, motivado pelo nascimento do filho decide deixar o comando. Para tal, terá de escolher um substituto à sua altura, tarefa que se vai revelar de grande dificuldade.
O filme é duro, é preciso muito sangue frio para pertencer à Tropa de Elite, muita coragem e pouco coração. Há cenas no filme que eu preferia ter não visto, choca, mas acho que o filme está bastante credível, acredito que seja assim que as coisas se passam.
Vencedor do Urso de Ouro do Festival de Berlim, este filme retrata a violência nas favelas do Rio de Janeiro, contada a partir de histórias verídicas de 12 antigos membros da força de elite BOPE (Batalhão de Operações Especiais), de combate ao narcotráfico. Nascimento, capitão da Tropa de Elite, lidera uma equipa de militares treinados para intervir em zonas de risco nas favelas. Cansado da corrupção existente na polícia, Nascimento procura um substituto para o seu cargo. Neto e Matias, ambos a realizar o curso de formação para entrarem na Tropa de Elite, destacam-se pela honestidade.
Fonte: cinema.sapo.pt
Tropa de Elite no IMDB

The Maiden Heist


Roger (Christopher Walken), Charles (Morgan Freeman) e George (William H. Macy) são seguranças numa galeria de arte. Em silêncio apreciam as suas obras de arte preferidas, contemplam-nas durante horas e vêem-se a braços com um problema quando o novo curador decide levar a exposição para um museu muito distante. Os três arquitectam um plano, que de perfeito não tem nada, para ficarem com as suas obras. Não são criminosos, são apenas apaixonados pelas obras de arte que apreciam há imensos anos.
Este filme é uma comédia que proporciona uns bons momentos de riso. Não é a maior comédia de todos os tempos, mas é divertida, simples e tem actores de referência.
Roger, Charles e George estão de tal forma apanhados pelo específico "objet d'art" que o fascinam que, apesar de serem colegas de trabalho há décadas, só se encontram pela primeira vez quando a crise estala: há um novo curador na cidade e o seu plano é mudar por completo a colecção do museu, ameaçando roubar a cada um destes três homens a grande paixão secreta das suas vidas. No entanto, tendo encontrado as suas almas-gémeas, Roger, Charles e George engendram um plano para deitar a mão às obras de arte que tanto acarinham. Tudo menos mentes criminosas, os seus corações apaixonados levam-nos no entanto a planear e executar o mais arriscado roubo de arte jamais concebido – com resultados inesperados...
Fonte: cinema.sapo.pt
The Maiden Heist no IMDB.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Pedro Abrunhosa - Não desistas de mim

Há dias em que parece que o Pedro Abrunhosa escreve as letras das suas canções ao som dos meus pensamentos.

O Natal lá em casa


Ouço muitas vezes as pessoas dizerem que detestam o Natal! Não posso deixar de ouvir as suas razões, muitas vezes relacionadas com o consumismo, com a azáfama dos presentes e com os atropelos nos centros comerciais.
O Natal é o que cada um quiser fazer dele e dizer que se detesta o Natal é meio caminho andado para se mudar alguma coisa.
Eu gosto do Natal e tudo o ele para mim significa. Para nós lá em casa a noite de Natal é especial como os jantares de família que fazemos frequentemente, ou como aquelas noites em que a família se juntava para comer castanhas à lareira e conversar.
O Natal para nós é isso mesmo, juntarmo-nos a conversar, a comer e a beber, a rir, às vezes a dançar. Fazemos isso mais do que uma vez no ano, a diferença são mesmo os presentes. Eu adoro surpreender as pessoas e a busca incessante do presente ideal para cada pessoa da família é uma tarefa que adoro, gosto de pensar detalhadamente nos gostos das pessoas e oferecer-lhes um presente que seja a cara delas, não é por obrigação, é por gosto. Às vezes uma simples moldura com uma fotografia especial da pessoa ou de alguém que lhe diz muito é o suficiente para deixar a pessoa a sorrir. Consigo imaginar a cara do meu avô quando ele abrir o presente que tenho para ele. Ou a cara do outro avô quando vir o título do livro que lhe vou dar (aos 85 anos o homem adora ler e devora livros como poucos). Saí a ele, definitivamente.
O Natal são também os doces da época que a minha mãe faz tão bem, para nós e que oferece também aos vizinhos.
Fazemos um Natal cada vez que nos juntamos todos a almoçar e a jantar, a rir da tia a resmungar para o tio não comer doces que lhe fazem mal, dos primos a contar anedotas de me fazerem agarrar à barriga a rir, do meu irmão a falar sem parar e a contar histórias do outro lado do mundo, do meu pai a meter cada vez mais lenha na lareira, da minha mãe sorridente por ter os dois filhos (e o outro filho emprestado) juntos em casa outra vez, da minha avó a dizer que para o ano já cá não está, do meu avô pescador quase a adormecer no sofá ao quentinho da lareira, dos planos que fazemos todos juntos, das histórias que trocamos e dos risos sinceros, de falarmos todos ao mesmo tempo e muito alto, como só os gandarezes fazem bem!
Este é o meu Natal!

Fonte da imagem: weheartit

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Não esquecer #75

Fonte: I can read

Blogs que leio regularmente


Dois anos e tal depois, volto aqui a apresentar a lista dos blogs que leio com regularidade. A lista foi actualizada, alguns foram removidos, outros acrescentados. Aqui fica então a minha lista em jeito de divulgação:

Nestes dois anos que passaram muitos blogs que lia encerraram, outros deixaram simplesmente de ser alimentados e, aos poucos, foram morrendo, daí terem sido retirados da lista.
Não é nada fácil acompanhar as escritas deste arraial de gente, mas lá vou conseguindo com a ajuda do Google Reader que me organiza as leituras!

Fonte da imagem: aqui

Eu gostava de... #12

...assistir à peça do Filipe La Feria intitulada "Fado- A história de um povo", um espectáculo que conta a nossa história, uma viagem desde as origens até aos dias que correm em cena no Casino Estoril.

“Fado-História de um Povo” é um espectáculo de invulgar beleza estética que articula o bailado com o circo e com as novas tecnologias de vídeo, numa original concepção do percurso da mais significativa canção portuguesa. O espectáculo corporiza essa viagem às origens, um regresso ao presente, uma antecipação às novas tendências, magistralmente retratadas na sua dedicatória final - o renascer do espírito de Amália.
Fonte: http://www.filipelaferia.pt

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Vip Manicure, no TAGV

Estiveram ontem, dia 25, no TAGV, Maria Rueff e Ana Bola com a peça Vip Manicure - A Crise.
Maria Delfina e Denise estão em crise, vítimas de uma situação pouco favorável estão praticamente à beira da falência. Num diálogo caricato e divertido, estas duas grandes actrizes apresentam um espectáculo dinâmico com diálogos fantásticos, música e dança.
Foi um espectáculo de hora e meia com riso do início ao fim. Aconselhável, sem dúvida!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

De onde vêm as ideias


Seth Godin diz que as ideias surgem de várias maneiras:

  1. Ideas don't come from watching television
  2. Ideas sometimes come from listening to a lecture
  3. Ideas often come while reading a book
  4. Good ideas come from bad ideas, but only if there are enough of them
  5. Ideas hate conference rooms, particularly conference rooms where there is a history of criticism, personal attacks or boredom
  6. Ideas occur when dissimilar universes collide
  7. Ideas often strive to meet expectations. If people expect them to appear, they do
  8. Ideas fear experts, but they adore beginner's mind. A little awareness is a good thing
  9. Ideas come in spurts, until you get frightened. Willie Nelson wrote three of his biggest hits in one week
  10. Ideas come from trouble
  11. Ideas come from our ego, and they do their best when they're generous and selfless
  12. Ideas come from nature
  13. Sometimes ideas come from fear (usually in movies) but often they come from confidence
  14. Useful ideas come from being awake, alert enough to actually notice
  15. Though sometimes ideas sneak in when we're asleep and too numb to be afraid
  16. Ideas come out of the corner of the eye, or in the shower, when we're not trying
  17. Mediocre ideas enjoy copying what happens to be working right this minute
  18. Bigger ideas leapfrog the mediocre ones
  19. Ideas don't need a passport, and often cross borders (of all kinds) with impunity
  20. An idea must come from somewhere, because if it merely stays where it is and doesn't join us here, it's hidden. And hidden ideas don't ship, have no influence, no intersection with the market. They die, alone.
Fonte da imagem: weheartit
Texto parcialmente retirado do blog de Seth Godin.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Não esquecer #74


Fonte: I can read

Christmas #2

Já temos o segundo elemento do Natal lá em casa, é esta árvore de Natal feita de trapo. Ao que parece falta praticamente um mês para o Natal e nós cá nos vamos preparando para o receber!

Killers


Domingo costuma ser noite de home cinema, embora nos últimos tempos isso não tenha acontecido. A escolha deste domingo recaiu sobre uma comédia romântica actual, Killers, com Katherine Heigl e Ashton Kutcher. O final é previsível quase desde o início do filme, não há grande factor surpresa e a performance dos actores não é nada de espectacular, embora valha bem a pena ver o Ashton de calções! As paisagens de Nice, local onde se passa a primeira parte do filme, são lindas.
Neste filme entra ainda uma actriz que não via desde o Sozinho em Casa, Catherine O'Hara.
Um agente secreto apaixona-se loucamente, e abandona a sua profissão quando decide casar-se com a mulher dos seus sonhos. A vida de sonho do casal é perturbada quando ele descobre que está a ser vigiado há bastante tempo e qualquer um dos seus vizinhos ou amigos, podem ser assassinos contratados para matá-lo a ele e á mulher.
Fonte: cinema.sapo.pt


Killers no IMDB.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Conferência com Philip Kotler

Na terça-feira passada, dia 16, estive em Aveiro na Conferência do IPAM onde esteve presente Philip Kotler, a maior autoridade mundial na área do Marketing.
A Conferência foi organizada pelo IPAM e contou com outros oradores, nomeadamente Daniel Sá, Director do IPAM Aveiro, um excelente orador e ainda Pedro Guerreiro, Director de Marketing da Torrié, ex-aluno do IPAM.
Com a sua apresentação, Daniel Sá pretendia passar três mensagens:

  1. O mundo está a mudar muito rapidamente
  2. O cliente tradicional que lemos nos livros, conservador já não existem, agora existem os fãs
  3. Novos consumos precisam de novo marketing
Achei a apresentação bastante interessante e gostei bastante do factor surpresa da apresentação dele: música ao vivo.
Quando Philip Kotler, o guru do Marketing, entra naquele anfiteatro, a sala inteira bate palmas fervorosamente. Kotler começou o seu discurso apontando para a plateia e dizendo "O futuro está nas vossas mãos!!" A sua apresentação baseou-se nos valores, fez uma breve comparação entre o Marketing 1.0 (Product-centric marketing), 2.0 (Costrumer-oriented marketing) e 3.0 (Value-drived marketing).
Elucidou-nos sobre as prioridades do marketing nos dias que correm:
  1. Clientes
  2. Colaboradores
  3. Comunidade
  4. Investidores

Deixou-nos, após um discurso fantástico, com uma frase que nos deixou a pensar:
“Within 5 years, if you run your business in the same way as you do now, you’re going to be out of business” 
(Philip Kotler)

Foi, sem dúvida, uma experiência enriquecedora, não é todos os dias que se pode assistir a uma palestra dada pelo guru do Marketing actual! Aos 79 anos, Kotler tem uma lucidez, inteligência e forma de cativar o público simplesmente incríveis.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Perfume - História de um assassino


O Perfume foi escrito por Patrick Süskind e publicado em 1985. O livro conta a história de um jovem artesão perfumista que decora todos os cheiros do mundo, Jean-Baptiste Grenouille, mas que não tem cheiro nenhum em si.
Grenouille nasceu debaixo de uma banca do peixe em Paris e sobreviveu ao acaso, pois estava pronto para ser colocado no lixo e a sua vida terminar por aí, o que não chegou a acontecer.
Grenouille cresceu em Paris e foi aprendiz de um perfumista em decadência, e é nessa fase que descobre o que quer da vida. Este jovem tem um nariz como nunca nenhum perfumista teve e consegue decifrar o conteúdo de cada perfume, além de que nunca esquece um cheiro.
Esta personagem, com o nariz mais sensível do mundo, não tem qualquer sentimento de dor. Para obter um cheiro, Grenouille é capaz de tudo. O cheiro que mais o atrai, é o cheiro do amor, fresco e jovem, daí a sua obsessão por raparigas jovens, cheiro esse que ele conseguirá reproduzir e colocar em frascos para seu próprio consumo. O uso que faz dele é intrigante e revela uma parte do final da história. O final é surpreendente, a escrita de Süskind é de tal modo pormenorizada que à medida que vamos lendo o livro é possível imaginar na perfeição cada cenário. Este livro é uma viagem pelos cheiros de França.
Talvez por ter a expectativa muito lá em cima não achei este livro super extraordinário como me tinham dito que era. Gostei e valeu cada letra, cada linha, cada página, apenas isso.

Esta estranha história passa-se no século XVIII e é fruto de um extraordinário trabalho de reconstituição histórica que consegue captar plenamente os ambientes da época tal como as mentalidades. O protagonista é um artesão especializado no ofício de perfumista, e essa arte constitui para ele – nascido no meio dos nauseabundos odores de um mercado de rua – uma alquímica busca do Absoluto.
O perfume supremo será para ele uma forma de alcançar o Belo e, nessa demanda nada o detém, nem mesmo os crimes mais hediondos, que fazem dele um ser monstruoso aos nossos olhos. Jean-Baptiste Grenouille possui no entanto uma incorrupta pureza que exerce um forte fascínio sobre o leitor. O Perfume, publicado em 1985, de um autor então quase desconhecido, foi considerado um dos mais importantes romances da década e nunca mais deixou de ser reeditado desde então, totalizando os 4 milhões de exemplares vendidos, só na Alemanha, e 15 milhões em países estrangeiros. Foi traduzido em 42 línguas. Este fenómeno transformou-o num dos mais importantes livros de culto de sempre. Em 2006, O Perfume passa a ser uma longa-metragem inspirada no romance de Patrick Süskind.



Fonte: fnac.pt

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Christmas #1

Foi oficialmente aberta a época natalícia lá em casa com a aquisição de uma rena muito sossegada que faz questão de nos lembrar que o "Nöel" está a chegar.

Missão Sorriso - Leopoldina

Todos os anos, o Continente promove a Missão Sorriso, um projecto que tem como objectivo contribuir para o bem estar das crianças em ambiente hospitalar.

Através da venda de produtos e DVD’s infantis da Leopoldina no Hipermercados Continente, a Missão Sorriso angaria verbas que são directamente canalizadas para a compra de equipamento médico/científico, lúdico/didáctico e entretenimento, posteriormente doado a unidades pediátricas. 
A Missão que começou por apoiar uma organização sem fins lucrativos em 2003, já alargou o seu contributo a 31 hospitais.
Fonte: www.continente.pt

Este ano o CD está simplesmente genial, é composto por músicas que todos ouvimos na infância, cantadas por artistas dos dias de hoje. "A saia da Carolina" cantada por Ana Moura, "Tom Sawyer" cantado por Anaquim ou "Vitinho" cantado por David Fonseca são três dos temas que fazem as delícias das crianças, e também dos adultos. Pedro Abrunhosa, Xutos e Pontapés, Deolinda ou Rita Redshoes são outros dos nomes sonantes que se juntaram a esta causa tão nobre. Vale mesmo a pena comprar este CD.

sábado, 13 de novembro de 2010

Camané, no TAGV


Camané deu, na quinta feira à noite, um fantástico espectáculo no Teatro Académico Gil Vicente, acompanhado dos músicos com quem toca vai para mais de 15 anos e que conheceu nestas andanças do fado: José Manuel Neto na guitarra portuguesa, Carlos Manuel Proença na viola e Paulo Paz no contrabaixo.
Foi na cidade de Coimbra que Camané deu o último espectáculo de apresentação do novo disco "Do Amor e dos Dias".
O espectáculo começou com Camané, num canto do cenário, sentado à secretária à luz ténue de um antigo candeeiro. O cenário representava uma sala, com várias cadeiras onde Camané se ia sentando ao longo do espectáculo, malas de viagem antigas empilhadas no meio da sala, uma parede cheia de molduras, uma televisão antiga.
Produzido pelo mestre José Mário Branco, o disco centra-se no amor, no ciúme, na raiva, no ódio e nas arrelias do dia-a-dia das relações a dois.
Destaco a música "Último recado" que fez a sala bater palmas durante uns largos minutos. Músicas de outros álbuns do grande Camané foram também cantadas, algumas delas aplaudidas de pé por uma sala contente por receber o maior fadista da actualidade.
Nos dois encores cantou "Mais um Fado no Fado" e "Saudades Trago Comigo", fado que permitiu a José Manuel Neto um grande momento na guitarra portuguesa, aplaudido com satisfação. A actuação terminou no auge com a segunda interpretação da "Guerra das Rosas", a principal música de promoção do novo álbum. E assim Camané saiu despedindo-se com um "boa noite meu amor"(versos finais da "Guerra das Rosas").
A voz masculina do fado que tem marcado a actualidade proporcionou-nos uma grande noite de fado, consegui abstrair-me do cenário e imaginar-me numa casa de fados pelas ruas de Alfama, uma mesa rústica e solitária, dois copos de vinho e Camané a encher a alma de quem o ouve.

Fonte da imagem: Portal do Fado





sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Não esquecer #73


Fonte: I can read

Caderneta de Cromos

Começou em Novembro de 2009, na Rádio Comercial, com o Nuno Markl a rubrica "Caderneta de Cromos", um registo de memórias dos anos 80 que tomou tais proporções que Nuno Markl, juntamente com Patrícia Furtado e a editora Objectiva lançaram um livro com 100 cromos dessa caderneta radiofónica.
Ouvia, e ainda ouço, religiosamente esta rubrica todas as manhãs porque muitas daquelas memórias fazem parte da minha infância apesar de eu já ter nascido a meio dos anos 80, é que as inovações demoravam a chegar à aldeia e muitas das coisas que Nuno Markl conta do início dos anos 80, aconteciam na minha aldeia no final dessa década. Além disso eu tenho um irmão 8 anos mais velho e muitas das coisas que eu não me lembro, lembra-se ele.
Foi lançada uma pré-venda na FNAC e nessa altura  encomendei o livro, tendo os cromos coloridos como oferta e um tubo de cola cisne. No meu tempo os cromos já eram auto-colantes e por isso esta história de ter de colar os cromos com cola é toda uma novidade para mim.
Comecei a colá-los e a ler cada cromo, por assim dizer, uma vez mais pois ouvi-os todos desde o início. Não  colo mais do que aqueles que leio e talvez por isso ainda só tenha colado/lido 1/3 do livro, é a minha obra inacabada. Vou ter cromos para colar até ao Natal.
Este livro é uma espécie de um legado que se deixa aos filhos, para eles saberem como foi a infância dos pais e dos tios.
Que dirão eles quando um dia lhes contar metade das porcarias que comíamos, ou as brincadeiras que tínhamos que frequentemente metiam pedras, paus, árvores, sangue nos joelhos e às vezes cabeças abertas. A julgar pelos padrões de hoje, a nossa infância lá na aldeia foi todo um atentado à saúde infantil! Naquela altura nem havia telemóveis, vejam lá, e os nossos pais deixavam-nos sair de casa ao sábado depois de almoço e aparecer em casa já lusco-fusco depois de muitas brincadeiras, arranhões, quilómetros a andar de bicicleta, muitas árvores trepadas, fruta roubada, muitos campos de milho estragados que serviam de cenário ao jogo das escondidas e espalhos no ribeiro que passava por lá. Cada sábado era uma aventura sem planos, fazíamos o que nos dava na rela gana. Como sobrevivemos? Houve cabeças abertas, braços partidos, cicatrizes a dar com pau e muitas outras dores. Criámo-nos, é o que é!
A única coisa de que tenho pena é de as crianças dos dias de hoje já não terem a liberdade e a alegria que tínhamos enquanto jogávamos às escondidas de bicicleta pela aldeia, nos escondíamos nas valas de água, escorregáva-mos nos montes de areia branca no pinhal e apanhávamos "tojeiros" pelo caminho, apanhávamos bichos na lagoa e tantas outras actividades que tinham tanto de divertido como perigoso.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Não sou de arriscar

Não sou uma pessoa que joga tudo para o ar e arrisca, que se manda de cabeça sem pensar meia dúzia de vezes. Não sou. Não sou impulsiva nas acções, apenas nas palavras. Não sou aventureira, não tanto quanto gostaria. Tenho por hábito jogar pelo seguro, tanto quanto possível, o dia de amanhã preocupa-me.
No entanto, arrisquei. Perguntava-me um amigo no outro dia "Não tiveste medo de arriscar? Não tiveste medo de não seres capaz?" Claro que tive! Deixei de fazer aquilo para que me formei e dei um rumo novo ao meu percurso profissional, foi uma aposta com base num ano académico de um novo curso! Se me custou? Claro que sim, não tinha certeza de nada, tinha dúvidas sobre tudo, medos eram mais que muitos.
Ainda hoje não tenho a certeza de nada, mas a vida faz-se um dia de cada vez e eu quero fazer muitas coisas na minha vida e isto é só o começo de um conjunto de mudanças sucessivas.
Se valeu a pena arriscar? "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena", já dizia o Pessoa, e mesmo que não estivesse a gostar desta escolha, pelo menos teria tido a oportunidade de experimentar. Sim, estou a gostar deste novo rumo, mas não me desprendi totalmente da minha vida anterior, hei-de continuar a escrever linhas de código nem que seja por desporto.

Fonte da imagem: weheartit

terça-feira, 9 de novembro de 2010

CD #11 - Compilação - Os Loucos Anos 80


A escolha do CD do mês de Novembro recaiu sobre uma compilação de música portuguesa dos anos 80. Para quem cresceu a ouvir estas músicas é qualquer coisa de nostálgico, sim, porque estas músicas são da década de 80 mas eu comecei a ouvi-las nos finais dos anos 80 e continuei pelos anos 90 fora. Como eu tinha um irmão mais velho e ele ouvia estas músicas eu ouvia por arrasto e mesmo que na altura não achasse muita graça, aprendi a gostar delas. Ainda hoje estas músicas causam furor nas festas alheias!

Inspirado pelas famosas festas dedicadas aos Anos 80 OS LOUCOS ANOS 80 pretendem trazer alguma da boa disposição que reinou na década e que tantas saudades desperta.
33 temas indispensáveis para uma festa dedicada aos Anos 80, não só para os que os viveram mas para toda uma nova geração que se rende à pop e ao rock dos 80s de alguma forma kitsch mas por isso tão divertido.
Fonte: fnac.pt

Deixo-vos com uma das minhas preferidas neste CD: 

Jáfumega - Latin'América

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Resoluções, a dois meses do ano novo


Faltam pouco menos de dois meses para a passagem ao novo ano. No ano passado fiz poucas resoluções para tentar cumprir todos os items da minha lista, vejamos o que ainda está por fazer:

...sorrir até me doerem os músculos da cara e rir até me doer a barriga, muitas vezes

  •  Não aconteceu tantas vezes como gostaria, foi um ano particularmente difícil e stressante!
...correr na rua em vez de correr no ginásio

  • Não corri de todo nos primeiros 9 meses do ano, mas depois fui para a natação e isso é que dá gosto!
...ler a pilha de livros que tenho em lista de espera (um dia tiro uma foto à pilha e mostro aqui)

  • Continuo a tentar e vou continuar!!
...terminar a parte lectiva do MBA com boas notas

  • Done :D
...fazer o meu trabalho bem feito

  • Acho que continuo a tratar disto, dia após dia!
...passar 15 dias a passear na Ásia

  • Ah, ainda não foi este ano, mas julgo que será em 2011, se tudo correr como esperado!
...ver mais filmes

  • Sim, vi, seguramente, o dobro dos filmes, senão mais, dos que vi no ano passado!
...passar um fim de semana algures no Norte do país

  • Done também! Mas pode vir outro!
...visitar os amigos mais vezes

  • Done :) A repetir mais vezes, claro!
Posto isto, o ano até foi produtivo em termos de resoluções de ano novo!

Fonte da imagem: weheartit

Regresso às tarefas escolares


Entrámos no 2ºano do MBA há quase um mês e a vontade de me dedicar de novo às tarefas escolares tem tendido para zero. Finalmente arranjei coragem e já comecei a tratar do trabalho da única cadeira que temos este ano, e com sorte ainda consigo parir uma tese de penalti (ou talvez não).

Fonte da imagem: Olhares

Estas mudanças da hora...


...causam-me um transtorno terrível! Estou eu a trabalhar descansada da vida, de repente olho para a janela e vejo que está de noite. Olho para o relógio em pânico e afinal pouco passa das 18h.
Eu sou da opinião de que a hora não devia mudar! Mas qual é a lógica de mudar? De manhã continua a ser de dia, pelo menos às 8h mesmo na hora antiga! Detesto sair do trabalho quando já é noite escura.
Os asiáticos é que são espertos, não há cá mudanças de hora para ninguém!
Dias grandes, podem voltar quando quiserem! Cá estarei ansiosamente à vossa espera!

Fonte da imagem: weheartit

Coisas (um tanto ou quanto) surreais que já fui/ainda sou


Seguindo a ideia de blog alheio que tenho por hábito ler, vou aqui apresentar algumas das coisas que eu já fui um dia.
"A turista" em Cuba, na Irlanda, nas Canárias, nas Baleares, em Paris, em Londres, na Madeira, em Barcelona, em Portugal continental
"A delegada de turma" no ciclo, duas vezes
"A Ana", a personagem que ia sendo levada para a má vida, mas que acabou por ficar no lado dos bons numa peça de teatro da escola
"A blueeeyes" nas salas de chat do mIRC
"A Kelle" no mIRC, mais tarde
"A melhor aluna" várias vezes até ao 9ºano
"Aquela cabra" na cabeça de uma ou outra pessoa
"A caloira" na faculdade
"A assaltada" num carro com o vidro partido e um portátil a menos, a apresentar queixa na esquadra
"A quartanista" num carro da Queima
"A finalista" na benção das pastas
"A desempregada" numa ocasião menos boa
"A estudante" a vida toda, ainda mantenho o posto
"A sonhadora" numa tentativa de fazer Erasmus
"A indignada" em inúmeras situações
"A trapezista" num desfile de Carnaval
"A sponsor" de uma menina na República Dominicana
"A ex" numa situação ou outra, ou mais
"A concorrente" nas olimpíadas de matemática
"A doente" na consulta aberta do hospital
"A irmã do H." perante os amigos do meu irmão
"A amiga de infância" numas quantas conversas
"A tia" do sobrinho pequenino emprestado
"A doutora" ao telefone com os Serviços Académicos da Universidade
"A menina" sempre que vou ao médico, à farmácia, ao correio, ao café, à pastelaria
"A senhora Engenheira" para o médico da medicina no trabalho
"Porta-chaves" numa aula de TLQ no 11ºano
"A festivaleira" em Paredes de Coura, no Sudoeste (twice), no Rock in Rio (twice)
"A madrinha" quando ainda nem era maior de idade
"A examinada" no exame de condução
"A gestora" desde há um mês
"A pequenina", sempre

Fonte da foto: weheartit

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Cirque du Soleil - Saltimbanco


O MQT ofereceu-me uma prenda original e diferente pelo meu 1/4 de século: uma ida ao Pavilhão Atlântico para ver último espectáculo desta tournée em Portugal do Cirque du Soleil. Digam lá se não escolhi um MQT à maneira!
A ideia era ser uma total surpresa, mas o meu cérebro não pára e quando ele me perguntou se estavamos disponíveis a partir das 15h de domingo, eu desconfiei, magiquei, fiz 15 filmes e lá cheguei à conclusão que íamos ver um espectáculo, qual era é que eu ainda não sabia, mas acabei por apostar neste e ele confirmou! Eu daria um excelente Sherlock Holmes feminino!
O espectáculo é simplesmente fantástico. É um circo genial, com muito muito mas mesmo muito sentido de humor, interacção com o público, malabarismo, trapezismo, dança, cor, luz e tantas outras atracções. 
Foram duas horas de pura boa disposição, com os olhos colados no espectáculo e nas acrobacias arriscadas!
Se um dia voltarem a Portugal com outro espectáculo, talvez consiga voltar a vê-los. Vale muito a pena!