sexta-feira, 23 de março de 2012

Madeira

Já não sei quantas vezes que visitei a Madeira mas nunca me canso de voltar.
A Madeira é daqueles sítios que dá sempre gosto voltar e há sempre qualquer coisa nova para ver, seja um restaurante diferente ou uma levada que não conhecíamos. Os locais turísticos continuam no mesmo sítio e já não são esses que me movem.
Desta vez levámos os amigos e divertimo-nos à grande, conduzi pela primeira vez na ilha, num carro alugado que mal travava e cujo ponto de embraiagem era consideravelmente diferente, pelo que, num terreno acidentado como o da Madeira, isto poderia ter sido um problema, mas num par de horas habituei-me de tal maneira ao carro que já parecia que era meu!
Logo à chegada, depois da bela espetada madeirense no Viola, o nosso sítio do costume, seguimos para a Levada das 25 Fontes e do Risco, não sem antes fazer uma paragem na Taberna da Poncha para matar a sede. A levada é interessante, apesar de ter lá um trajecto cheio de degraus e a subir durante uma extensão considerável. Nesse momento o silêncio fez-se sentir entre as 11 pessoas que fizeram a levada, era preciso poupar toda a energia para a subida.
Depois da levada, a paragem na Taberna da Poncha era obrigatória, claro, para recuperar forças.
Na noite de sábado o jantar foi no Caniço, na Vista do António, onde se come o melhor entrecosto grelhado lá do sítio! Claro que nessa noite já só houve força (e pernas) para uma poncha na zona velha do Funchal, que por sinal estava muito animada.
Depois de umas horas de repouso, no domingo fomos ao Cabo Girão, à Calheta e à Sociedade dos Engenhos da Calheta (fábrica de aguardente e mel de cana). Como ainda não tínhamos comido peixe espada frito fomos tratar de resolver esse assunto na Madalena do Mar. Depois disto, só podíamos ir beber uma poncha de tangerina na Venda do André, que eu tanto gosto!
Como o que é bom não dura para sempre, tivemos de regressar no domingo à noite ao continente com a sensação clara de que "ficou muita coisa por fazer"!
As gargalhadas foram uma constante durante todo o fim de semana, especialmente quando íamos no carro, o nosso (cheio de mulheres).
Havemos de voltar pois claro!

Algumas fotos:
A primeira poncha, antes do almoço, no Viola

A poncha depois de almoço, na Taberna da Poncha

O final da Levada das 25 Fontes

A companhia para o lanche

O final da Levada do Risco

Praia Formosa

Vista do miradouro do teleférico

Cabo Girão

Vista do Cabo Girão

A moer a cana de açúcar

Fábrica de aguardente e mel de cana

A esta viagem eu chamar-lhe-ia a "Rota da Poncha"!



6 comentários:

Patxi disse...

Argghhhhhhhhhhhhhhhhh

Adoro que adorem a minha terra. :)

Eu já tomei banho nua no lagoa das 25 fontes. Essa levada é simples. Que meninos. :D

Para a próxima façam a do Caldeirão Verde em Santana.

Jinhos grandes.
Aposto que nos próximos meses não apanharás nenhuma constipação. ;)

Kelle disse...

Patxi, não andas a tomar atenção, a do Caldeirão Verde foi a última que fiz quando lá estive da outra vez!

Esta das 25 Fontes é simples, não fossem aqueles degraus todos seguidos a subir sem parar. A malta que não está habituada a estas andanças queixou-se um bocadinho! Não mata mas mói :)

Patxi disse...

Oh, não me lembrava. :)

E já fizeram a levada do Estreito ao Cabo Girão? É muito simples, mas não é aconselhável a pessoas com vertigens.

Jinhos,

P.S. - Pq é que não consigo subscrever aos comentários?

Kelle disse...

Patxi, essa ainda não, só fizemos estas que te disse, para a próxima logo se vê qual será, de qualquer forma se essa não é aconselhada a pessoas com vertigens, vou passar, não tenho vertigens mas tenho medo de cair :D
Quanto a subscrever os comentários, já hoje tinha pensado o mesmo, não consigo subscrever nenhum dos comentários que fiz hoje nem ontem... Blogger do raio!

Maria disse...

opah nunca fui à madeira, mas gostava mesmo, mesmo , mesmo de ir...

Nokas disse...

A bela Poncha não pode faltar :))