quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Irlanda #5 - 9 de Junho

Este foi o dia em que andámos só na zona de Cork, pela primeira vez dormimos duas noites seguidas no mesmo hotel!

De manhã, pela fresca, visitámos o mercado inglês (era aqui que estavam as pernas do frango que nos serviam a refeição porque os senhores só nos davam peito de frango).



Andámos a pé no centro de Cork, com aquela chuvinha boa, e fomos à Crawford Art Gallery (mais uma vez me apercebi que não percebo nada de arte).



Dirigimo-nos então para Middleton, uma localidade a pouco mais de 20km de Cork para visitarmos a casa mãe da Jameson, uma das mais importantes destilarias de whiskey. É a destilaria mais antiga, funcionou mais de 150 anos, até 1975. O whiskey irlandês escreve-se com 'e' antes do 'y' ao contrário do whisky escocês que não leva o 'e'. Isto deve-se ao número de vezes que o wiskey é destilado na Irlanda (3 vezes) e na Escócia (2 vezes). O whiskey irlandês é menos conhecido que o escocês porque em tempos houve um boicote à sua produção. No whiskey irlandês usa-se cevada malteada e água. As destilarias compravam a cevada aos agricultores que a traziam para a destilaria. A cevada malteada é a cevada germinada, mergulhada em água 4 dias e depois metida numas placas para secar e depois era armazenada. Secava naturalmente na Irlanda. Os escoceses forçavam a secagem, o que faz com que o whisky escocês tenha um trago mais fumado que o irlandês. Na destilaria, depois da visita, foram escolhidas seis pessoas do grupo para fazer a prova do whiskey. Nem tentei candidatar-me, o whiskey não está na lista de coisas que gosto de beber.

O processo de se fazer o whiskey é muito interessante, vamos lá ver se não me esqueço nenhuma passo:
  • Antes de mais, é importante falar nos ingredientes: cevada e água;
  • Os agricultores vinham do campo carregados de cereais que descarregavam no pátio da Destilaria;
  • Os cereais eram guardados em sacos de 50Kg no "Grain House", um local com vários andares para rentabilizar o espaço;
  • Passava-se ao processo de Malting, onde os cereais estavam espalhados numa espécie de celeiro que tinham um forno por baixo para emitir calor para os cereais secarem;
  • Segue-se o processo de Milling, onde são moídos no moinho de água;
  • Passa para o processo de Mashing, onde é adicionada água quente aos cereais moídos;
  • A Fermentation é o processo que se segue: a mistura anterior fica durante 3 dias a fermentar ;
  • Depois disso é feita o processo da Destilation, passando em três alambiques, sofrendo, portanto, o processo de destilação três vezes, característica do whiskey irlandês;
  • No processo de Maturation é colocado em cascos já usados como os nossos do Vinho do Porto, Barris de Sherry e Bourbon e aí fica durante o tempo que for necessário, dependendo do tipo de whiskey que se pretende obter.









Seguiu-se a prova do wiskey. Eu passei essa parte: estava de barriga vazia e nem gosto de wiskey, portanto, dediquei-me à reportagem fotográfica. Almoçámos na destilaria, adivinhem, frango com puré, pois claro! De tarde, voltámos a Cork e tivemos a tarde livre para passear por Cork a pé.





3 comentários:

Vera, a Loira disse...

As fotos estão realmente fantásticas.

Kika disse...

Fiquei cheia de vontade de ir :)

Kelle disse...

Vera, obrigada :)

Kika, e ainda nem publiquei os posts de Dublin :) Acredita que a Irlanda vale mesmo a pena!