sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Quando Lisboa tremeu, de Domingos Amaral


Lisboa acordou tranquila no dia 1 de Novembro de 1755, mas tudo mudou quando um grande tremor de terra assolou a cidade, seguido de uma onda gigante e incêndios em vários pontos da cidade.
A história é narrada por Santamaria, um pirata que estava preso no Limoeiro mas que conseguiu fugir quando as paredes da prisão cederam aquando do terrível terramoto. Toda a trama gira à volta de Santamaria, a irmã Margarida, o comerciante inglês Hugh Gold e o rapaz, de 12 anos. Cada uma destas personagens tem os seus propósitos pessoais depois do abalo mas as suas histórias entrelaçam-se de forma inesperada.
Sebastião José de Carvalho e Melo, aquele que viria a ser o marquês de Pombal e responsável pela reconstrução da cidade, à altura Ministro do Rei D. José, é o único a manter-se com sangue frio para tomar decisões que são urgentes numa cidade destruída.
O livro é dividido em 4 partes que fazem referência aos elementos da natureza: Terra, Ar, Fogo e Ar, em cada uma das partes o autor descreve os factos que realmente aconteceram naqueles dias após o abalo, roubos, assassinatos, tentativas de assalto ao ouro real, abuso de mulheres, fuga de presos, entre outras coisas.
Com uma escrita leve e fluída, Domingos Amaral mostra-nos o ambiente e a mentalidade da época, é uma história que se lê com curiosidade e agrado. Ficou apenas a faltar um final à altura da narrativa.
Lisboa, 1 de Novembro de 1755. A manhã nasce calma na cidade, mas na prisão da Inquisição, no Rossio, irmã Margarida, uma jovem freira condenada a morrer na fogueira, tenta enforcar-se na sua cela. Na sua casa em Santa Catarina, Hugh Gold, um capitão inglês, observa o rio e sonha com os seus tempos de marinheiro. Na Igreja de São Vicente de Fora, antes da missa começar, um rapaz zanga-se com a sua mãe porque quer voltar a casa para ir buscar a sua irmã gémea. Em Belém, um ajudante de escrivão assiste à missa, na presença do rei D. José. E, no Limoeiro, o pirata Santamaria envolve-se numa luta feroz com um gangue de desertores espanhóis. De repente, às nove e meia da manhã, a cidade começa a tremer. Com uma violência nunca vista, a terra esventra-se, as casas caem, os tectos das igrejas abatem, e o caos gera-se, matando milhares. Nas horas seguintes, uma onda gigante submerge o Terreiro do Paço, e durante vários dias incêndios colossais vão aterrorizar a capital do reino. Perdidos e atordoados, os sobreviventes andam pelas ruas, à procura dos seus destinos. Enquanto Sebastião José de Carvalho e Melo tenta reorganizar a cidade, um pirata e uma freira tentam fugir da justiça, um inglês tenta encontrar o seu dinheiro, e um rapaz de doze anos tenta encontrar a sua irmã gémea, soterrada nos escombros.
Fonte: fnac.pt

9 comentários:

Karina sem acento disse...

Li em tempos um livro do Domingos Amaral tão mau, mas tão mau que só me deu vontade de o atirar à lareira. Acho que nunca tinha lido alguma coisa tão má. Desde aí, não consigo ler mais nada dele... :/

Kelle disse...

E qual foi o livro dele que leste? Este já é o segundo que leio dele e tenho gostado.

Ovelha Flor Guerreira disse...

Nunca li nada dele. Não sei se escreve bem ou mal. Mas o tema parece-me interessante. Tenho muita curiosidade sobre o mesmo!

Kelle disse...

Ovelha Flor Guerreira, eu tenho muita curiosidade de ler o "Verão Quente" escrito por ele, é o último, mas estou à espera que alguém mo ofereça agora que se aproxima o Natal :) Também lá tenho dele o "Enquanto Salazar Dormia" mas ainda não tive oportunidade de o ler.

Karina sem acento disse...

Amor à primeira vista. Não achei a história nada de especial e não gostei nada do tipo de escrita dele...

Kelle disse...

Esse nunca li, mas dá-lhe outra oportunidade com este livro, pode ser que gostes :)

teardrop disse...

Já tive para o comprar várias vezes, mas li o "Enquanto Salazar dormia" e não fiquei propriamente fã... Acho que a história do terramoto me pode interessar mais também!

A♥ disse...

Fiquei curiosa com este livro. A ver se o encontro na minha próxima ida à biblioteca.

Big Kisses

Silenciosamente ouvindo... disse...


Vim conhecer o seu blogue
através da Árvore de Natal da
Blogosfera.Virei de seguida,com
mais tempo, para o conhecer melhor.
Saudações
Irene Alves